CUBA


A República de Cuba, é um arquipélago formado por mais de 1600 ilhas, ilhotas e ilhéus, Sendo a ilha de Cuba a maior; além disso está com formado por quatro grupos insulares. As tensão superficial do arquipélago cubano e de 109.884,1 km². A sua população se encontra sentada nas ilhas de Cuba e lá sendo a ilha de Cuba a maior; além disso está com formado por quatro grupos insulares. As tensão superficial do arquipélago cubano e de 109.884,1 km². A sua população se encontra sentada na ilha de Cuba e Lá Juventud, O resto do arquipélago está quase despovoado, com exceção dos centros turísticos que se encontram em alguns ilhéus.

A população cubana, fechando o 2018, era de 11.209.628 pessoas com uma estreita maioria de mulheres (5.633.640 mulheres frente a 5.575.988 homens) Para uma relação de 990 homens por cada 1000 mulheres. Os dados da Oficina Nacional de Estatística Informação Menciona que a população de entre 15h29 anos e de 2.164.346. Neste grupo a proporção é de 1062 homens por cada 1000 mulheres como valores de 1.115.207 homens e 1.049.139 mulheres.

A Constituição da República, modificada em 2019 depois de um processo de consulta popular estabelece que “Todas as pessoas são iguais perante a lei, recebem a mesma proteção e trato das autoridades e gozam dos mesmo direitos, liberdades e oportunidades, sem nenhuma discriminação por razões de sexo, gênero, orientação sexual, identidade de gênero, idade, origem étnica, cor da pele, crença religiosa, discapacidade, origem nacional ou territorial, ou qualquer outra condição ou circunstância pessoal que implique distinção lesivo à dignidade humana. Todos têm direito a desfrutar dos mesmos espaços públicos e estabelecimentos de serviços”.


Atualmente não existe o matrimônio igualitário porém, devido às modificações na Constituição está sendo revisado todo o corpo legal para adequação do texto da Magna Carta. Entre outros encontra-se em processo de redação o código da família.

Desde 2018 se celebram as “Jornadas Cubanas contra a homofobia e transfobia”, Organizadas pelo governamental Centro Nacional de Educação sexual. As mesmas têm lugar em maio, lembrando o dia em que a homossexualidade foi retirada dos manuais de psiquiatria como uma doença mental. Apesar de que cada ano, como parte da jornada, era realizada na capital e em quase todas as províncias do país uma marcha pela reivindicação dos direitos das pessoas LGBTI+, em 2019 não se autorizou a mesma. Em resposta, grupos LGBTI+ independentes convocaram a uma “marcha alternativa” que também não foi autorizada mas foi realizada no dia 11 de maio ao longo da rua Prado, uma das artérias da Havana Antiga. Mesmo que a marcha ocorreu sem incidentes durante o seu percorrido, ao finalizar produziam se altercado entre as forças do ordem e ativistas que se manifestaram contra o governo deixando três pessoas detidas.

Ainda não existindo cifras oficiais, a população LGBTI+, Especialmente as pessoas trança, com frequência fazendo denúncias referidas ao assédio e mau trato policial que sofrem em lugares de socialização.


Segundo o enquete de indicadores de prevenção de infecção por HIV/Aids 2017 o número de homens que fazem sexo com outros homens, entre 12 e 49 anos, estima-se em 279.531pessoas, sendo o 9,4% dos homens cubanos nesse rango de idades. Seis de cada dez (64.1%) são bissexuais e um 4.4% prática sexo comercial.

Umas 25.494 pessoas viviam com o vírus do HIV em Cuba ao fechar o 2018, quando foram detectadas na ilha mais de 2200 novos casos da infecção. 80% dos diagnosticados (20.446) são homens e o resto (5.048) mulheres. Do total de pessoas com o vírus ao redor de 86% são homens que fazem sexo com outros homens.